Retiro Santo Inácio – Um homem, um santo. Dia 2

2 – A arte da “conversação”. II

Quanto ao vosso conversar com os outros, fazer oração especial todos os dias para que Deus se digne dar-vos discrição e graça para edificar e não destruir”

(S. Inácio)

S. Inácio não era condutor de massas ou multidões, mas de pessoas ou de pequenos grupos seletos. Ele conhecia por intuição a psicologia humana e tinha o dom de “trabalhar” as pessoas; era admirável na arte da conversação.

Já nas “conversas espirituais” iniciadas no castelo de Loyola, Inácio convence, comove e atrai pela firmeza e profundidade de suas convicções, pela autenticidade de suas palavras e de sua conduta, pela irradiação de sua vida espiritual.

Ele tinha um trato especial com todos e cada um em particular; ele era o companheiro-guia que exercia uma liderança, firme e segura.

Chama-nos a atenção como Inácio respeita e protege a liberdade de cada pessoa. Ele não impõe suas ideias e nem sua experiência pessoal.

Com sua presença ele fermenta o ambiente e transforma as pessoas.

Essa maneira de proceder de Inácio brota de um profundo respeito à ação do Espírito no interior das pessoas. De fato, sua conversação, como toda sua vida, se desenvolve na mobilidade e liberdade vital do Espírito. Trata-se de “conversar no Senhor”, ou seja, encontrar e revelar seu Espírito numa atitude de contínua disponibilidade e abertura. A conversação assim concebida é sempre operante, construtiva e edificante.

A arte de Inácio para “ganhar corações” era ter verdadeiro e sincero amor àqueles a quem ajudava, mostrando-o com palavras e obras, despertando a confiança das pessoas, adaptando-se às condições delas, estimulando-as e ajudando-as a atingirem o máximo de suas possibilidades…

Sempre inclinado para o amor”, apaixonado por Deus e pela atuação d’Ele no coração das pessoas, Inácio sonha em fazer os outros participarem plenamente deste amor pelo qual se deixou invadir por inteiro.

Através da conversação Inácio anima, comunica, corrige, consola, pede… busca o bem mais universal.

Com todos ele começava uma “conversação exterior” e logo, uma vez preparados, também a conversação interior, sabendo entrar e conduzir cada um com ternura e delicadeza, “segundo as pessoas e as situações”.

Conversar no Senhor requer, como primeira medida, uma adaptação total à outra pessoa, que Inácio resume na frase do Apóstolo Paulo: “fazer-se tudo para todos, a fim de salvar alguns a todo custo” (1Cor 9,22).

Esta adaptação faz com que a conversação seja dinâmica e progressiva, segundo a pessoa e as circunstâncias em que ela se encontra.

Em Paris começou mais intensamente do que costumava, a entregar-se às conversações espirituais” (Aut. 77).

Inácio se encontra no centro de um vasto leque de contatos com muitos jovens; trabalhando como escultor, com fé e perseverança, ele não demorou em descobrir jovens estudantes de viva inteligência, corações generosos, vontade decidida, movidos por um ideal…

Com grande tato e segurança, a conversação de Inácio vai dispondo e preparando cada pessoa para que pudesse chegar, com toda a liberdade espiritual, a uma decisão ou mudança de vida.

De onde brota esse dom da “conversação espiritual?”

Certamente dos Exercícios Espirituais, onde o colóquio ocupa o centro de tudo na experiência. Os colóquios com as Pessoas Divinas, com a Virgem Maria e com os santos se prolongam em colóquios com as pessoas.

Para S. Inácio, encontrar Deus em todas as coisas é, primeiramente, descobri-Lo através das conversações. O apóstolo é aquele que ao ir ao encontro dos outros, descobre a presença e a atuação do Espírito neles. Deus nos fala ao coração e vem a nós através dos outros.

A conversação é uma experiência profundamente humana de proximidade, de conhecimento, de intercâmbio, de ternura… um encontro entre caminhantes que vão compartilhando histórias de vida, esperanças e frustrações, vontade de construir e sonhar…

Na conversação, o que importa é a pessoa do outro e não os problemas que apresenta… ela é o lugar privilegiado de encontro e descoberta misteriosa do Outro (Deus).

A conversação nos liberta da solidão e do fechamento, fazendo-nos crescer na transparência.

A conversação reforça os laços, criando a comunidade dos “amigos no Senhor”.

Textos bíblicos: Lc 24,13-35; Jo 3,1-21; 2Tim 1,6-14; Jo 4,1-12.

Os discípulos conversavam e discutiam…”: conversa de desânimo, de tristeza, que não constrói… Pela conversa a pessoa manifesta quem ela é. “Onde está sua conversa, aí está seu coração”.

– Quais são suas conversas? Elas animam os outros, eleva-os, “aquecem seus corações?…


%d blogueiros gostam disto: